terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Filmes vistos em janeiro - Parte II

Ando assistindo muito filme em fevereiro, acho que a postagem do próximo mês deve ter umas três partes, por aí. Mas ainda estamos na minha lista de janeiro, com ainda poucos filmes. Ela tá bem misturada tem até concorrente ao Oscar deste ano!

Central do Brasil (1998) - Dirigido por Walter Salles




Na verdade, eu já havia assistido há muito tempo, mas eu era tão "guri" que não lembrava exatamente de nada. Bonito, sensível, emocionante... o que mais? "Central do Brasil" é um daqueles filmes indescritíveis! A direção de Walter Salles e as atuações divinas do elenco, principalmente do menino Vinicius de Oliveira, que me fez acreditar que aquele garoto realmente existia, e de Fernada Montenegro, lhe rendendo uma indicação ao Oscar de melhor atriz, são o ponto alto do longo que ainda concorreu também ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

A Rede Social (2010) - Dirigido por David Fincher


Concorrente ao Oscar nas categorias: Melhor filme, melhor diretor (David Fincher), melhor ator (Jesse Eisenberg), melhor roteiro adaptado (Aaron Sorkin), melhor fotografia, melhor mixagem de som e melhor edição, A Rede Social é o queridinho de muitos no ano de 2010. Mas, sinceramente, não entendo o porque de tanto alvoroço em cima deste filme. Devo admitir que é sim um longa legal sobre uma história interessante, mas é só. Não tem nada tão excepcional nele.

Guerra ao terror (2009) - Dirigido por Kathryn Bigelow


Sei que estou falando muito sobre o Oscar nesta postagem, mas é que, sem querer, acabei assistindo filmes que foram destaques na premiação. "Guerra ao terror", por exemplo, venceu seis categorias na edição do ano passado, incluindo melhor filme. Mas pra mim, apesar de não ter assistido a todos os filmes concorrentes, aquele era o ano de Bastardos Inglórias. Mas tudo bem eu não faço parte do júri mesmo.
Voltando a "Guerra ao terror", o que posso dizer que é um filme mediano, com um começo chato, com a repetição de situações semelhantes, no desarmamento de bombas. Muitos dizem que ele só ganhou tantas estatuetas porque o Oscar é uma politicagem só, afinal mostrar os norte-americanos como heróis é sempre bem aceito para os mesmos, pena que o mundo não engole isso!

Batismo de Sangue (2006) - Dirigido por Helvecio Ratton


Adoro o tema ditadura militar, inclusive é por isso que gosto tanto daquela música "Caminhando e cantando e seguindo a canção...". "Batismo de sangue" é um filme retratado durante esse período, pela visão de um grupo de padres que se envolvem com um grupo guerrilheiro contrário a ditadura militar que governa o Brasil. Uma ótima dica pra quem gosta de história, filme nacional e ditadura militar. Me arrepiei as duas vezes que assistir na cena em que presos cantam o hino da independência. Espetacular!

10 coisas que eu odeio em você (1999) - Dirigido por Gil Junger


Nem tenho muito coisa pra falar sobre "10 coisas que eu odeio em você. É um filme legalzinho com algumas histórias batidas, comuns em comédias românticas. E no elenco tem o falecido Heath Ledger, o coringa de "Batman - O cavalheiro das Trevas" que foi encontrado morto em sua casa devido a uma overdose de medicamentos.

Garotos de Programa (1991) e Elefante (2003) - Dirigido por Gus Van Sant



Estava olhando Biografia do Gus Van Sant lá no filmow (Rede social voltada ao cinema) e lendo todas sinopses dos seus filmes, isso foi o bastante pra começar a ver as suas obras. Comecei com "Garotos de Programa" que me decepcionou um pouco, mesmo tendo uma temática marginalizada (outro motivo para assistir os filmes do Sant) o longa não superou as minhas expectativas. Mas aí baixei "Elefante" e toda a imagem mediana do diretor foi para as "cucuias". Agora quero ver "Milk - a voz da igualdade" e "Paranoid Park".

Maconha (2000) - Dirigido por Ron Mann


Documentário esclarecedor e com uma certa dose de humor. Importante para entender o porque da legalização da maconha e esclarece tudo que envolve o tráfico de drogas. Uma verdadeira aula política e social. Assista, se informe antes de falar e legalize já! Veja no youtube ou baixe:

O Selvagem da Motocicleta (1983) - Francis Ford Coppola


Certa vez fiz um trabalho sobre o Coppola, na época em que postei uma crítica para "Vidas sem rumo", e aí baixei um monte de filmes dele pra assistir, como "O Poderoso Chefão" e "Apocalipse Now". "O Selvagem da motocicleta" estava salvo no computador abandonado por um bom tempo, quando eu resolvi assistir. Todo em preto e branco, o filme traz mais um trabalho de imagens bonitos vindo do Coppola, e lembra muito "Vidas sem rumo", não só pela presença do ator Matt Dilon como também pela temática: Jovens, moradores da periferia envolvidos em gangues e brigas. Não é um trabalho maravilhoso, nem mediano, pode ser encaixo entre os dois termos.

COMENTE!

4 comentários:

Alan Raspante disse...

Ah Raul, que nem já falei no outro post: espero que venha mais e mais posts assim. Bacana integrar vários filmes em apenas uma postagem!

Olha concordo contigo: "A Rede Social" não é isso tudo não. Não é, nem de longe o meu favorito deste ano.

Central do Brasil eu preciso muito ver.

10 coisas que eu odeio em você, é uma boa comédia!

Acredita que até hoje não vi nada de Gus e Coppola? Enfim, preciso reparar isso!

Guerra ao Terror? Não sei porque, mas não tenho curiosidade. Não agora.

Abs. :)

Britto disse...

Não sei bem o motivo, mas geralmente filmes que têm seus nomes ligados ao Oscar não me agradam muito. É o caso de Central do Brasil, que eu acho um porre. Mas ainda pretendo ver A Rede Social...

Mateus Selle Denardin disse...

CENTRAL DO BRASIL é meu filme nacional favorito. Com uma das cenas finais mais emocionantes a que já assisti, uma trilha soberba, atuações excelentes e a grande direção de Salles.
Adoro A REDE SOCIAL, elenco afinado, roteiro e montagem excelentes, mas também não acho que merece glórias como melhor de 2010.
Já GUERRA AO TERROR eu considero uma obra-prima mesmo. Espetacularmente tenso, com emoção na medida certa (o diálogo entre dois combatentes lá pelo final, a cena no supermercado) e sequências extraordinárias (o confronto no deserto, todas as cenas de desarmamento), tudo conduzido de forma impecável por Bigelow. Todos os Oscar foram mais que merecidos, faltou só o de fotografia.
Os outros filmes que você comentou eu ainda não vi, infelizmente.

Mateus Selle Denardin disse...

Ops, na verdade eu vi também 10 COISAS QUE EU ODEIO EM VOCÊ, e acho a mesma coisa que você disse. Bacaninha, mas nada demais.